.

Pet |

CARACTERÍSTICAS DOS SUBSTRATOS

-- Os substratos utilizados nos aquários interagem com o ambiente e podem ser analisados sob diversos aspectos. O mais visível é, sem dúvida, o efeito decorativo. Substratos com cores naturais criam ambientes naturais, com eles podemos fazer aquários temáticos, imitar leitos de determinados rios ou biótopos específicos, enquanto os coloridos artificialmente permitem ao aquarista dar asas à sua criatividade e obter efeitos especiais. De qualquer maneira, seja natural ou colorido artificialmente, a beleza do resultado final será a consequência do bom gosto do paisagista decorador.
-- Outro aspecto a ser considerado é o tamanho dos grãos. Existem peixes que são verdadeiras escavadeiras, qualquer decoração que não estiver apoiada sobre grãos de tamanho superior aquele que o peixe consegue mover será fatalmente derrubada. Em compensação, existem outros que, como as arraias, precisam de uma areia finíssima igual a que existe no seu local de origem, pois tem o hábito de se enterrar e ficar apenas com os olhos de fora. Já a vegetação aquática, na sua grande maioria, precisa de uma areia média que, embora tenha bastante superfície de contato com as raízes, permita ser facilmente penetrada por elas.
-- A granulação muito grossa tem a desvantagem de reter sobras de comida entre seus grãos, enquanto uma granulação muito fina impede a circulação da água e consequentemente cria um ambiente anaeróbio no subsolo e esta ausência de oxigênio gera substâncias tóxicas.
-- O tamanho dos grãos também influi nas interações e reações químicas do meio ambiente devido sua superfície de contato. Em igualdade de peso ou volume, substrato de granulação menor tem uma superfície total maior e portanto uma reatividade maior. Para uma melhor visualização da relação entre tamanho e superfície vide o texto bolhas de ar.
-- O formato dos grãos é outra característica a ser levada em conta:
-- Grãos com arestas cortantes podem ferir, principalmente, os peixes de fundo e os que o reviram a procura de alimento ( ex. coridoras, bótias, etc.).
-- Grãos irregulares, com superfície irregular são um ótimo substrato para a fixação das bactérias que realizam a filtragem biológica, a granulação fina é utilizada em filtros de LEITO FLUIDIZADO enquanto que a grossa é usada em filtros tipo DRY WET.
-- Para as raízes das plantas o formato irregular com bastante arestas não cortantes é melhor que o redondo, pois favorece a emissão de raízes secundárias.
-- O tipo de mineral ou material preponderante no substrato é outro aspecto importante. Considerando que a água é sem dúvida o solvente universal, já que é o líquido que dissolve o maior número de substâncias, qualquer substrato utilizado terá uma interação própria e característica.
-- Calcários. Substratos calcareos que endurecem ( dureza transitória ) e alcalinizam a água exercendo efeito tampão, tornando assim difícil a alteração duradoura do pH, que depois de alterado momentaneamente ( geralmente com acidificantes ) em pouco tempo volta aos valores iniciais.
-- Neutros e básicos. O único mineral utilizado como substrato e que não reage quimicamente com qualquer substância que pode estar presente na água do aquário é o Quartzo, tanto o colorido artificialmente como as suas diversas variedades com cores naturais, é o único substrato que não altera de forma alguma os parâmetros químicos da água do aquário.
-- Substratos diversos que não alteram drasticamente a dureza carbonatada ( transitória ) e consequentemente o pH, já que é impossível obter substratos naturais isentos de impurezas.
-- Os substratos quartzosos dependendo do seu local de origem contem quantidade variáveis de impurezas diversas, as quais tendem a alterar o pH para um lado ou para o outro de acordo com espécie.
-- Substratos com preponderância de silicatos, geralmente feldspatos, reagem quimicamente com a água de acordo com a sua composição química, o tipo e a quantidade de bases presentes.
-- Substratos basálticos são de origem magmática ou vulcânica e seu conteúdo de elementos químicos embora seja mais completa que o de outros substratos, varia com o seu lugar de extração e tem tendência alcalinizante.
-- Substratos diversos com características químicas ou morfológicas específicas ou com propriedades diferentes das mencionadas acima e que os tornam mais apropriados para determinados usos.
-- Todos os substratos reagem com a água do aquário, cada um de acordo com as suas características, uns mais rapidamente e outros mais devagar, mas todos eles tendendo para o endurecimento da água. Alguns mais para dureza transitória e outros mais para dureza permanente.
-- Considerando que os elementos básicos, Sódio Na, Potássio K, Magnésio Mg e Cálcio Ca são os mais solúveis, mesmo fazendo parte de moléculas complexas, entrarão em solução vagarosamente porém quando sob a forma de carbonatos, graças a presença quase inevitável de CO2 e seu ácido carbônico a sua solução será muito mais rápida.
-- De qualquer modo as interações mencionadas acima, seja qual for o substrato, não são instantâneas, acontecem ao longo do tempo, sofrem a influência de diversos fatores gerados pela biologia do aquário e inclusive pelo tamanho da granulação. Portanto não devem ser considerados produtos de efeito imediato.
-- Com as trocas periódicas de parte da água do aquário e dependendo da solubilidade e da quantidade relativa de cada elemento contido em determinado substrato, aos poucos, os elementos mais solúveis e presentes em menor quantidade no substrato serão eliminados.
-- Alguns substratos, dependendo da presença ou da ausência de vegetação aquática, podem inverter sua tendência de alteração de pH.
-- Também devemos levar em consideração que grandes pedaços de rochas normalmente usadas na decoração, não importando qual seja o tipo de mineral preponderante, terão pouca influência sobre a química do aquário devido a pouca superfície relativa de contato com a água.